MOVIMENTO PELA PRESERVAÇÃO DA PRAÇA SÃO CRISPIM

Relação Santa Cia. com a Cidade

desde os Sábados Pensativos em 2015, eventos que ocorriam mensalmente na Verve Galeria promovidos pela Santa Cia., nós pesquisamos como coletivo o espaço urbano. todo evento se iniciava com performances nossas na Praça Benedito Calixto. em seguida, em 2016 a pesquisa se aprofunda quando estudamos a Antropofagia e o espaço urbano da R. Frei Caneca y suas relações sociais com pautas identitárias LGBTTQIA+. todo o processo foi permeado de provocações, pois a rua é um espaço d dramaturgia aberta. Vivenciamos alguns momentos de violência, outros de extrema potência poética. a R. Frei Caneca não nos abraçou, ou nossa ideia não se abraçava à ela. por sorte, encontramos uma praça ali perto que nos afetou! a Praça dos Arcos. foi lá que nasceu Antropofrei.

mais tarde, em Cora Primavera, tivemos a oportunidade de mergulhar no espaço urbano: ensaiávamos ao ar livre: na Praça dos Arcos, na Praça do Maracatu ou no Terreiro Cênico-Festivo do Instituto de Artes da UNESP. e esses ensaios somavam rodas de conversa com todos da equipe (45 pessoas) no espaço público y investigações de gerações de poiesis, além de treinamento vocal y corporal. com Cora circulamos pela Praça dos Arcos, R. General Jardim, Calçadão da R. XV de Novembro (Curitiba), Ruínas São Francisco (Curitiba), Praça General Osório (Curitiba), Vigília Lula Livre (Curitiba) e o espaço externo do Teatro de Conteiner. na Rua é onde a Santa Cia. se transforma e renasce. ela foi nossa “sala de ensaio”, nosso “palco”, nosso kamarym, nosso centro de debate y reflexão, nosso ponto de encontro através do acontecimento Teatral. o processo todo de Cora se iniciou em 24 de feverayro de 2018 y encerrou a primeira circulação em junho de 2019.

após o todo o processo de montagem y circulação de Cora, a Santa Cia. começou a investigar artísticamente a região da Vila Ipojuca/ Lapa de São Paulo. a rua é puro movimento, nela reside os conflitos da vida, a própria vida. ela nos instiga com sua permanente dramaturgia em construção, aberta para o aqui-agora.

Outubro de 2019

no segundo semestre de 2019 o núcleo de atuadores da Santa Cia. iniciou um novo processo de pesquisa para a construção de um novo espetáculo rito-manifesto. em outubro nos aproximamos da Vila Ipojuca, região da Lapa Zona Oeste de Sampã. Realizamos uma Deriva, exercício de geração de poeisis a partir da orecularidade, do convívio y do jogo com o espaço urbano. o intuito era investigar o espaço artisticamente, havia algo que nos chamava para a região. um ímã.

Novembro de 2019

em novembro, nosso diretor Rafael Abrahão y nossa arquiteta e urbanista Fernanda Colejo realizaram uma deriva urbana no dia 20. o objetivo era caminhar pelo bairro e estudar o movimento de gentrificação, especulação e verticalização do bairro. após a deriva os dois se reuniram no bar QG da Lapa, na Praça São Crispim, e conversando com a dona do bar descobriram que a prefeitura havia lançado uma PPP – Parceria Público Privada – que prevê a venda da Praça São Crispim, da Praça Rio dos Campos (Pompeia), da Praça Portugal (jardins), uma praça no Sacomã y o Parque Linear Rio Verde (Itaquera) para a construção de Piscinões. ou seja, vender um espaço público verde para transformar em esgoto. na Praça São Crispim, em específico, há a microbacia do córrego Tiburtino que está literalmente embaixo da praça, canalizado. a transformação do rio em esgoto para que haja lucro. havia uma audiência pública marcada para o dia 22 de novembro. percebemos que antes da ação artística era necessária uma ação social.

Rafael Abrahão foi na audiência que estava marcada às 10h na galeria Olido. a mesa da audiência era composta pelos senhores: Pedro Algodoal da Secretaria de Infraestutura y Urbanismo; Manuelito Magalhães da Secretaria de Desestatização; Marcelo Carvalho y Victor Sellin da SP Parcerias. havia somente Rafael d munícipe na audiência que durou cerca de apenas 20 minutos. os moradores das regiões que serão vendidas y afetadas não estavam cientes do que estava prestes a acontecer. a consulta pública do edital da PPP ficaria aberto até o dia 11 de dezembro. havia 02 semanas para que pudéssemos fazer algo.

no dia 25 de novembro Rafael liga para Annabella Andrade, ativista da Sampa Associação de Moradores y da Comunidade Brasil, com sua ajuda realiza a articulação nos órgãos estatais: Ministério Público y Defensoria Pública. além disso, os dois visitaram a Câmara de Vereadores para uma frente pluripartidária para agir na situação. prorrogar o prazo da consulta pública, derrubar a proposta do piscinão y implementar a proposta das Infraestruturas Verdes de Drenagem Sustentáveis, alternativas muito menos agressivas e mais atuais do que piscinões, que lidam com o manejo das águas pluviais de maneira mais eficiente, pois queremos que o problema das enchentes que assola a população de São Paulo seja resolvido. a articulação foi feita com base no seguinte ofício:

enquanto essa articulação com o Estado acontecia, todes da Santa Cia. se reuniam em turnos alternados para a coleta de abaixo assinados com os moradores y comerciantes da Praça São Crispim y os convidavam para uma roda de conversa no dia 07 d dezembro.

Fernanda Colejo articulou um grupo de arquitetos para pensar o projeto de Drenagem Sustentável, formado por Luís Rossi y Paula Lemos do escritório Cota 760, por Rafael Sampaio, morador do entorno que compõe o grupo IVA e pelo permacultor Pedro Bruschi, atual diretor Socioambiental da Santa Companhia.

Dezembro de 2019

o começo do mês de dezembro foi bem agitado. tudo girava para que a roda de conversa fosse um sucesso: pressionávamos a câmara de vereadores para que houvessem gabinetes presentes na roda; pressionávamos a Prefeitura para que mandassem seus representantes para o evento; articulávamos com o Ministério Público; coletávamos assinaturas y articulávamos os moradores; montávamos uma contra-proposta à infraestrutura cinza: a infraestrutura verde y azul.

eis que chega o dia 07 de dezembro, a I Roda d Conversa pela Preservação da Praça São Crispim. Estavam presentes mais d e80 moradores, os gabinetes dos vereadores Eliseu Gabriel y Gilberto Natalini y o senhor Pedro Algodoal, técnico da Secretaria d Infraestrutura y Urbanismo. em 3 horas todos os moradores conseguiram se posicionar. Unanimidade contra o piscinão. todos os moradores se articularam para barrar por todos os meios legais possíveis o Piscinão. o principal usado foi o ofício do Ministério Público y o envio massivo de respostas na consulta pública. a comunidade estava engajada, nasce o Movimento pela Preservação da Praça São Crispim.

Janayro de 2020

no início do ano o grupo de arquitetos já se reunia para continuar articulando as transformações e as propostas da infraestrutura verde y também acontecia a II Roda de Conversa pela Preservação da Praça São Crispim. nessa roda os moradores se fortaleceram e se dividiram em dois grupos d trabalho: o Socioambiental y o Cultural. ações seriam promovidas na Praça São Crispim. a partir dessa luta e desse movimento vimos a necessidade da Associação também ter uma área que pensasse a sustentabilidade y o socioambiente.

nesse mesmo mês plantamos, junto aos moradores, um total de 12 árvores, realizamos um mutirão de limpeza na praça, coroamos as árvores, conseguimos mais lixeiras y também a troca de 2 bancos de ponto d ônibus público.

Feverayro de 2020

em fevereiro realizamos mais um mutirão de limpeza y um Pic Nic na praça, onde além de bate papo y brincadeiras também realizamos, juntamente com Rafael Sampaio y Maurício Ramos uma intervenção urbana em memória do rio y da microbacia do Tiburtino. após a III Roda de Conversa pela Preservação da Praça São Crispim, articulamos junto ao Gabinete do Vereador Gilberto Natalini o evento I Encontro de Soluções Sustentáveis e Ações Afirmativas Socioambientais que aconteceria no dia 04 de março na Câmara de Vereadores. o evento seria promovido pela Comunidade Brasil y pela Santa Cia.

a Comunidade Brasil articulou com Fran Kauê, líder social d Itaquera que mobilizou seu bairro em prol do Parque Linear Rio Verde. ao mesmo tempo foi realizada uma aliança com o coletivo Pompeia Sem Medo, da Frente Povo Sem Medo, pela mobilização pela praça Rio dos Campos, localizada na bacia da Água Preta.

no mesmo mês o Vereador Gilberto Natalini visita a praça São Crispim e se assusta com a proposta de matar uma praça com mais de 60 árvores para a promoção de um esgoto.

no fim do mês houve um café da manhã com os moradores y engenheiros para pensar soluções para a praça.

Março de 2020

no dia 01 d março foi promovida uma Oficina d Criação d Cartazes para o evento I Encontro de Soluções Sustentáveis e Ações Afirmativas Socioambientais. A mesa do evento foi composta pelos políticos vereador Gilberto Natalini, Eduardo Jorge, Pedro Algodoal y pelos técnicos: professor doutor Paulo Pellegrino, Beatriz Codas, Paula Lemos y Fernanda Colejo. No final do evento a Santa Companhia de Teatro cantaria uma composição d Rafael Abrahão y Claudio Mascaro: Tiburtino.

na circulação de Cora Primavera na cidade de Curitiba tivemos a experiência de realizar uma apresentação na Vigília Lula Livre em 07 de abril de 2019, onde o ex-presidente Lula nesta data vivia 01 ano de prisão política. neste dia não foi possível realizar o espetáculo, mas de contra partida fizemos o primeiro show de Manga Régia tocando as músicas do espetáculo com costura de trechos dramatúrgicos, nasce a Manga Régia, Núcleo Musical da Santa Cia. entendo a possibilidade de realizar shows, circulamos tocando no Esquenta do Festival Lula Livre (Teatro Oficina), Escola Florestan Fernandes e Associação Cecília.

neste mês não foi possível realizar a IV Roda d Conversa devido ao início da pandemia do COVID-19.

Abril de 2020

graças a toda a luta pela praça São Crispim com todos (políticos, sociedadedade civil, comerciantes, associações y instituições) e também com a ocorrência da pandemia do COVID-19 a PPP dos piscinões foi suspensa.

sem Luta, não há Vitória

vejamos o que seguirá, que consigamos as drenagens sustentáveis.