ANAMNESE

Teatro Pequeno Ato (R. Dr. Teodoro Baima, 78)

15 de agosto à 06 de setembro de 2015
Sábado 20h, domingo 19h

em fevereiro de 2014, Arthur Rizzo, Bruno Panhoca, Rafael Abrahão, e Viale de Lara criaram o blog de poesias Nada Pensativo. Eram quatro diferentes perspectivas de vida e mundo de forma poética disponíveis ao público. Em abril do mesmo ano, Arthur Rizzo e Rafael Abrahão juntaram algumas dessas poesias e as transformaram em um único enredo dramatúrgico. Desta adaptação nasceu “Anamnese”, o que fez com que ampliássemos a arte para além do blog. Na orgya da concretização da peça, foram escolhidos poetas, dançarinos, músicos, atores e artistas visuais, nasceu a Cia. Nada Pensativo, a qual ainda é tida como um espaço de laboratório para experimentação de arte.

mentes em eterna transição relatam, relembram e projetam memórias e conflitos do homem e seu mundo. A lua atravessa a janela de vidro. A parede mais dura de concreto e seu coração de gelo; reflete a insanidade, que é revelada como a mais sã e justa forma de enxergar a realidade e ilumina a escuridão da mais humana solidão que se encontra na corda bamba entre a vida e a morte. Medo e desejo. Amor e ódio. Revolta e revolução.

” teatro, poesia, música, filosofia. Em uma manhã de sábado fui presenteado em assistir a um ensaio de Anamnese. Bonito de ver jovens criadores com tanto desejo e potência em partilhar seu processo de criação, tão abertos em ouvir, tão vocacionados ao princípio da arte na continua construção de sentidos à criação cênica.

anamnese nos traz uma ciranda de linguagens. É teatro e também é boa música, é poesia que nos sensibiliza é filosofia que nos faz pensar.

convido a todos a se deixarem conduzir e navegar pela carinhosa Anamnese proposta pela Cia. Nada Pensativo.

Paco Abreu

qual o motivo da sua existência? Qual a sua trajetória? Quais são as ações de seu ser? Suas perguntas aqui serão respondidas com outras interrogações. Afinal, por que as vezes não (con)seguimos? Pelo medo? Qual medo? Qual o seu medo? Seria demasiado drummondiano sentir medo da vida? A anamnsese do ser passa pelo medo. Como escaper das flores amarelas e medrosas do nosso interior? Sendo vermelhos? Porque o fogo que arde ao sol é força. Por qual caminho iremos? Por onde quisermos? Ao alto. E quanto mais colecionarmos medos mais subiremos? Porque é nessa existência medrosa que ora nos volve verdes e ora nos faz vermelhos que (sobre)vuvemos. Anamnesicamente a Cia. Nada Pensativo nos traz a poética do medo tão universal ao ser e ao nosso cotidiano, e nos convida a (re)conhecer a si mesmo.

Rafael Pinheiro

Ficha Técnica

Direção
Rafael Abrahão

Assistência de direção
Caio Megiato
Carmen Rizzo

Produção
Arthur Rizzo
Rafael Abrahão
Vitor Marques

Iluminação e operação
Rafael Abrahão

Cenotécnica
Vitória Fava

Elenco
Angelo Aleixo
Raul Moraes
Sofia Riccardi
Tathianne Yates

Músicos
Igor Fialkovits (baixo)
Nicole Kouts(percussão)
Pedro Palma (voz e violão)
Vitor Marques (percussão)

Composição musical
Pedro Palma

Arte gráfica

Nicole Kouts
Vitória Fava

Dramaturgia
Arthur Rizzo
Rafael Abrahão

Obra baseada nos textos de
Arthur Rizzo
Pedro Barreira
Rafael Abrahão
Viale de Lara

Agradecimentos
Bruno Panhoca
Edifício Oiapoque Chui
Evandro Palma
Paco Abreu
Priscilla Abrahão
Rafael Pinheiro

Patrocínio
Arqmate
Small World Brasil
Ttwice Educação bilíngue