EQUIPE

Alex Lino
baixista

contrabaixista acústico e elétrico, atuante na área popular e erudita. Estudou no Conservatório Municipal de Guarulhos e EMESP, tendo aulas com Miranda Bartira, Gabriel Bahlis, Marinho Andreotti, Max Ebert, Celso Pixinga, Fabio Zaganin entre outros. Integrou a Orquestra Jovem Municipal de Guarulhos, temporadas 2012, 2014 à 2016, Orquestra Jovem Tom Jobim, temporada 2013, Orquestra Filarmônica de Paraisópolis. Já integrou diversos grupos de estilos musicais variados como SP Jazz Big Band, Banda Arruda, Funkfize, Casa Lavada, acompanha artistas como Fábio Miranda e Leandro Medina. Já se apresentou na Sala São Paulo, Memorial da América latina, SESCs, Teatro Adamastor, Teatro Sérgio Cardoso, Festival de Inverno de Franco da Rocha, Festival da canção de Alvinópolis, Festival de inverno de Paranapiacaba e diversos teatros e casas de show majoritariamente em São Paulo. Atualmente atua como freelancer, professor de contrabaixo elétrico e acústico e educador musical. Entrou na Santa Cia. em Cora Primavera.

Álvaro Cotarelli
violinista de arco y compositor

Álvaro Cotarelli é compositor e músico, estudou violino (EMESP) e piano (EMMSP, Souza Lima). Como bolsista, foi aluno de guitarra no Conservatório Souza Lima, integrando sua Orquestra de Guitarras. Teve aulas de harmonia com o trombonista e compositor Itacyr Bocato e foi seu assistente no curso Salada Mista (SESC/Consolação), além de guitarrista da banda Big Bang Soul. Em 2019, graduou-se Bacharel em Música, com habilitação em Composição na FMU|FIAM-FAAM, onde também exerceu as funções de violista, arquivista e assistente da Orquestra Acadêmica. Autor da monografia “Em Tempos Modernos: A Música Cênica de Charlie Chaplin”. Como compositor, tem em seu repertório diversas obras para piano solo, orquestra, e canções para formação de rock, temas de jazz, fugas a quatro vozes, peças corais e diversas composições para cordas.

Amanda Amaral
comunicadora y artista visual

Amanda Amaral é graduada em Artes Visuais pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), artista multimídia, comunicadora, pesquisadora independente e Arte Educadora que reside em São Paulo/SP.
se dedica à pesquisa na qual lida com questões de site/non-site (estudos relativos à espaço, lugar, cidade e comunidade) utilizando o vídeo e a fotografia como campo de investigação para tencionar o registro, a documentação e o lugar dessas imagens considerando tipologias, contra-tipologias e narrativas criadas como trajetória de um convite à atenção a esses espaços e arquiteturas baldias e abandonadas, explorando também o corpo e suas práticas afetivas.
participa do projeto de pesquisa ORGANON (Núcleo de Estudo, Pesquisa e Extensão em Mobilizações Sociais), inicialmente como editora de vídeo e posteriormente como pesquisadora no núcleo de gênero e sexualidade com mulheres transexuais no estado do Espírito Santo no ano de 2014. Em 2018, participa do VÃO, vinculado ao grupo de pesquisa PLACE: Plano Conjunto de Espacialidades, projeto que consiste em um conjunto de atividades relacionadas à produção de arte contemporânea em meios audiovisuais e propõe uma série de apresentações periódicas de recortes da produção artística fílmica e videográfica para a comunidade. Em São Paulo, integra e a comunicação da Santa Companhia de Teatro (Santa Cia.), pesquisa questões de investigação dos processos educativos como prática na ambiência artística junto ao FURTACOR.

Ana Cruse
pianista

iniciou seus estudos aos 7 anos na Escola de Música Caires com a professora Vanessa Sanches. Deu continuidade ao curso com o Prof. Ricardo Luiz Marcello na Escola de Música Expressarte por 7 anos.
Foi aluna de piano popular na Escola de Música do Estado de São Paulo-EMESP, onde fez aula com professores influentes como Lis Carvalho, Itamar Colaço e Celinha. Atual discente do Conservatório municipal, EMMSP participa do Coral Infanto Juvenil da Escola Municipal regido por Regina Kinjo. Participou de concertos com a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo cantando os musicais Saltimbancos e A arca de noé. Ainda no conservatório teve aula com Aida Machado e Daniel Mattos. Integrou como pianista a banda Bandzi no show DZI CROQUETTES 45 ANOS com direção de Ciro Barcelos. Entrou na Santa Cia. em Cora Primavera, um rito-manifesto dirigido por Rafael Abrahão. Atualmente cursa Licenciatura em Educação Musical na Universidade Estadual de São Paulo – Unesp Julio Mesquita.

Ana Maria Guidi
jornalista

Ana Maria Guidi é estudante de Jornalismo na PUC -SP (2016-2020) e de História na USP (2016-2022). Trabalhou na redação de dois veículos de grande circulação e hoje atua na área de audiovisual de uma pequena produtora. Autora da pesquisa “A Construção do Discurso da Imprensa na Representação de Travestis”, premiada pela PUC-SP.

Arthur de Oliveira
atuador

formado em artes cênicas pelo Teatro Escola Célia Helena, teve uma breve vivência em sets de filmagem de curtas universitários, por onde foi levado a cursar audiovisual. A vontade de viajar acabou se tornando realidade e interrompeu o curso para realizar “mochilões” por Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Uruguai e Argentina. Nesse período, teve experiências de desenvolvimento pessoal, contato com grande diversidade de pessoas, histórias e novas oportunidades profissionais. Trabalhou como fotógrafo e videomaker. Dentro da Associação Cultural Santa Companhia de Teatro, atua como líder da equipe de Comunicação e Ator.

Bernardo Matos
produtor

licenciado pela ESCH em Artes Cênicas, onde estudou com Marco Antonio Rodrigues, Marcelo Lazzaratto, Luaa Gabanini e pratica no teatro a 15 anos, faixa preta em Taekwon-do ITF mestre Jorge Campos (4° Degree), pesquisador livre e praticante de violão.
Estuda Filosofia e Ciências Politicas, e busca o quanto mais atenuar a arte em seu viés politico.
Agora membro e produtor da Santa Cia.

Chico Aires
socioambiental y percussionista

iniciou seus estudos musicais com o violino em São Paulo – SP, sob orientação do professor Danilo Trevisan. Nessa cidade, estudou bateria na escola de música Domus sob orientação do professor Reka Ortega. É formado em bacharel e licenciatura em Ciências Biológicas pelo IB-USP. Entre 2013 e 2017 organizou 4 festivais culturais na USP e 3 festivais culturais “Proibido Estacionar” no bairro da Lapa em São Paulo. Atua, desde 2013 na banda Cardume. Em 2018 participou como músico no rito manifesto “Cora Primavera” da Santa Cia de Teatro em praça pública em São paulo e em 2019 apresentou este trabalho no festival Fringe em Coritiba bem como no Teatro de Conteiner no centro da cidade. Em 2019 também gravou o CD musical da trilha deste rito manifesto que ainda está em produção.

Claudio Mascaro
violonista, compositor y diretor musical

guitarrista formado no IG&T (2010) com especialização em fusão, cantor e instrutor de canto coral e popular, professor particular de música em São Paulo, bacharelando de Música (Regência), pesquisador e criador de arranjos, produtor musical com experiência em gravação e mixagem. Em 2017 participou no processo de Cora Primavera como arranjador, diretor musical e violonista, em 2018 passou a compor a equipe de produção da Santa Companhia.

Débora Predella
violinista

iniciou seus estudos em música fazendo aulas de violino coletivo dentro de projetos sociais existentes em Guarulhos, no CEU Pimentas e na Secretaria da Educação em 2010.
Estudou no Conservatório de Guarulhos onde teve aulas particulares de violino com os professores Renato Kutner e Eduardo Maueski, e em 2016 iniciou seus estudos em Licenciatura em Música pelo Instituto de Artes da Unesp.Iniciou seus trabalhos com a SantaCia em 2018, na montagem de Cora Primavera, onde participou como violinista em todas as temporadas, inclusive no FRINGE em Curitiba em 2019.Participou como violinista e assistente de produção musical no Espetáculo Borboleta Azul e na Leitura dramática de A Morte do Patriarca – Hilda Hilst no Sesc Ipiranga com a Cia Pessoal do Faroeste na direção de Paulo Faria em 2019, e trabalhou como violinista e cantora no Espetáculo Devaneio Sinfonia a Três com a CiaTempo no Circuito Sesc de Circo, com direção de Ronaldo Aguiar e produção de César Rossi. Atualmente leciona na Escola de Música NelSom em Guarulhos como professsora de violino, e trabalha como freelancer em casamentos e eventos como cantora e violinista.

Demétrio Abrahão
atuador y audiovisual

Demétrio Abrahão entrou no teatro com 8 anos, no curso da Oficina dos Menestréis, do qual participou por 17 anos, de 2001 a 2017. Em 2015, se formou em cinema pela FAAP e, durante o curso, participou de diversos curtas como figurante, assistente de fotografia, produção, arte e som. Além disso, foi diretor de fotografia em dois curtas e diretor de produção em um, participando, no total, de mais de 20 filmes. Faz aulas de canto desde 2010 e em 2018 se formou no curso de graduação em artes cênicas da Escola Superior de Artes Célia Helena. Entrou na Santa Cia. como ator na peça Cora Primavera.

Fabia Fusco
clarinetista y produtora musical

iniciou seus estudos de clarineta em Espírito Santo do Pinhal – SP, na Banda Filarmônica Cardeal Leme. Em sua cidade natal, também frequentou o Projeto Guri. Foi aluna do Conservatório Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí – Polo Avançado de São José do Rio Pardo e integrante da Banda Sinfônica Jovem da instituição. Participou de inúmeras edições do Festival Música nas Montanhas, Poços de Caldas – MG, além de Simpósios e Encontros para Clarinetistas e do Festival Música em Trancoso (2018), assistindo à masterclasses de: Luiz Afonso “Montanha”, Edmilson Nery, Luca Raele, Diogo Maia, Henri Bok, Joel Barbosa, Sergio Burgani, Jairo Wilkens e Mathias Ambrosius.
Se apresentou junta à Banda Sinfônica de Poços de Caldas, Banda do Festival Música nas Montanhas, Poços de Caldas – MG, e Banda Sinfônica Paulista, São Paulo – SP.
Atualmente, é graduanda do curso de Bacharelado em Clarineta do Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Unesp, orientanda do professor Sergio Burgani, clarinetista da Camerata Guarany, do Núcleo Universitário de Ópera – NUO Ópera Lab e da Santa Companhia, além de fazer diversas apresentações camerísticas.

Fernanda Colejo
urbanista

Fernanda Colejo é arquiteta urbanista formada pela Escola da Cidade em 2017. Durante a faculdade se aproximou às disciplinas relacionadas ao planejamento urbano e habitação social, tendo como assunto principal de interesse e pesquisa as ocupações de moradia do centro de São Paulo. Foi neste período também que teve a oportunidade de trabalhar na equipe de direção de arte do longa metragem Era o Hotel Cambridge, direção de Eliane Caffé, descobrindo uma afinidade também com projeto de cenografia. Atualmente trabalha com habitação social – regularização fundiária na empresa Diagonal Transformação de Territórios, atuando com diversos bairros informais de municípios do Estado de São Paulo. Ingressou para a equipe da Santa Cia para gestar sua Sede, pensando na relação entre corpo, espaço e cidade.

Francisco Nogueira
tesoureiro, economista y músico

formado em Ciências Econômicas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 2018, estagiou no Deutsche Bank – Banco Alemão SA na área comercial de Implementação e Produtos, Gestão de Recursos e Transações Globais, de 2014 a 2016. Atualmente é analista e assessor de investimentos no banco BTG Pactual Digital, onde entrou em 2017. Em paralelo à profissão bancária, foi aprendiz de mixagem e gravação na Baticum Produtora de Som em 2012, assistente de produção e administrador financeiro da Diorama Produções & Eventos, além de gerente administrativo e de vendas da TU Mercado de Arte & Moda entre 2013 e 2016. Na produtora, junto à Associação BR-116, participou da produção e contra-regragem do espetáculo A Melancolia de Pandora em 2016, na qual também atuou ao lado de Bete Coelho, Ricardo Bittencourt, André Guerreiro Lopes e Djin Sganzerla. Ainda na Diorama, trabalhou na produção do show de Emicida e Convidados, com participações de Criolo e Seu Jorge em 2017. Entrou na Santa Companhia como economista e tesoureiro, integrando também a produção de Cora Primavera.

José Eduardo Faria
conselheiro fiscal y Hefesto

formado em Administração de Empresas pela Faculdade Oswaldo Cruz em 1988, e  como Técnico em Edificações pela Faculdade Oswaldo Cruz em 2013, trabalhou no Banco Mercantil de São Paulo, Banco Francês e Brasileiro e Banco do Estado de São Paulo (atual Banco Santander), sempre na área internacional, sendo que no último atuou por seis anos como controler nacional da área internacional. Desde 2010 é colaborador da empresa Arqmate Consultoria de Esquadrias onde faz a gestão do escritório e fiscalização de obras. Entrou na Santa Companhia como Conselheiro fiscal em 2020, mas desde sua criação, é o Hefesto da Companhia produzindo alguns adereços e materiais.

João Alberto Leite
conselheiro fiscal

João Alberto Leite é Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil aposentado desde agosto/2017. Atualmente é advogado especializado em direito tributário. É graduado em música pelo Conservatório Dramático e Musical de São Paulo (1982); ciências contábeis pela FECAP – Fundação Escola de Comércio Alvares Penteada (1994) e direto pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2016). Atuou como músico profissional entre 1980 e 1989. Ingressou na Receita Federal do Brasil em 1990, tendo atuado na auditoria do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica durante 26 anos.

Juliana Gotz
compositora, diretora musical y flautista

regente, diretora musical de espetáculos teatrais, instrutora vocal e flautista, Juliana Gotz iniciou sua formação musical como flautista e coralista na Escola de Música Estado de São Paulo (EMESP) / Universidade Livre de Música Tom Jobim (ULM) aos oito anos de idade e desde então tem como ênfase de seu estudo a linguagem coral e a musicologia. Fez, também, aulas de canto e fagote. Ingressou no curso técnico em Regência (ETEC de Artes) em 2013, onde, pela primeira vez, regeu um coro adulto. Desde então, foi condutora de diversos corais adultos e grupos instrumentais. É fundadora da Associação Cultural Santa Companhia de Teatro, onde atuou como diretora musical, compositora e arranjadora de dois espetáculos, Antropofrei (2016) e Cora Primavera (2018 – 2019) e em vários outros projetos .Cursa atualmente o sexto ano de bacharelado em Regência pela UNESP e estagia junto a programação de música do Sesc Guarulhos.

Laís Damato
arquiteta cênica y audiovisual

arquiteta, formada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Escola da Cidade em 2018. Durante todo o período de curso participou de diversas ações de intervenção no espaço público urbano, questionando os usos da cidade; como por exemplo a participação no grupo Terreyro Coreográfico. Integrou ativamente o centro acadêmico durante dois anos sendo responsável pela comunicação entre os alunos e o conselho pedagógico e a diretoria dentre outras funções.
Responsável pelo projeto e execução da concha acústica usada na montagem de Cora Primavera, que também foi seu trabalho de conclusão de curso.

Luíza Abe
atuadora y preparadora vocal

Luíza Abe é formada pelo INDAC – Escola de Atores, pela escola de teatro musical 4Act Performing Arts, pela Universidade Estadual Paulista – UNESP – em Licenciatura em Arte-Teatro e pela Universidade de Dublagem como dubladora. Trabalhou como professora de Coral no Colégio Jardim São Paulo (2012); como educadora na Escola da Vila e na Casa Ubá; como preparadora vocal na Cia Pessoal do Faroeste, para a peça Brancos e Malvados contemplada pelo Fomento ao Teatro 2019; como preparadora vocal do documentário Garoto – Vivo Sonhando dirigido por Rafael Veríssimo pela Lente Viva Filmes; como atriz e cantora na empresa Consulado do Som e na empresa Estação Felycidade; e como arte educadora e atriz no projeto No Rastro da Tradição contemplado pelo edital VAI II no Espaço de Cultura e Lazer do Monte Kemel. É professora de teatro para crianças e adolescentes no Colégio Renovação e Colégio Arcádia, é cantora da banda Cardume, é arte educadora na empresa Recreart, além de trabalhar em seu projeto solo, rodas de choro e samba e parcerias com jazz e música brasileira. Já montou a peça As Aves de Aristófanes (direção de Marcos Suchara), Antígona de Sófocles com apresentação no festival do TUSP – Teatro da USP (direção Luiz Eduardo Frin), Assim é se lhe Parece de Luigi Pirandello (direção Francisco Gomes), Momentos Humanos segundo Don Dellilo de Don Dellilo (direção Adriana Pires) e Ocupação, uma adaptação da peça A Invasão de Dias Gomes, com duas temporadas sendo uma delas no Teatro Augusta (direção Renato Andrade). Montou peças musicais, de 2009 a 2013, no Teatro Livre da Abigail Wimer como Jesus Cristo Superstar, O Homem de La Mancha e Francisco de Assis. E foi preparadora vocal e musa cantora na peça Cora Primavera da Santa Cia de Teatro.  

Malaika Cipriano
atuadora

Malaika Cipriano é atriz formada no Teatro Escola Macunaíma e publicitária formada em Ciências da Comunicação na Universidade Nova de Lisboa.Integrante da Santa Cia. desde Fevereiro de 2018, participou da montagem e todas as apresentações de “Cora Primavera” em São Paulo e no FRINGE em Curitiba. No Macunaíma, participou de 7 montagens. Em paralelo, atuou em alguns curta-metragens e na websérie “O Cabaré “de Guilherme Medeiros. Em 2016 frequentou os dois módulos do curso (Re)Conhecendo Stanislavski ministrado por Fábio Takeo. Em Portugal fez parte do Grupo de Teatro da Nova, frequentou o curso de teatro do Chapitô, fez teatro-dança e o workshop sobre Stanislavski ministrado pelos Satyros em Lisboa.

Mateus Teixeira
designer gráfico y comunicador

licenciado em Artes Visuais pela Faculdade de Educação e Cultura Montessori, mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Mateus Teixeira é professor e profissional da arte digital e do design. Busca, como objetivo de vida, desenvolver projetos educativos e artísticos que dialoguem com as pesquisas de seus colaboradores.

May Durães
produtora y contrarregra

Mayara Durães é produtora e contrarregra. Designer de Interiores com especialização em Direção de Arte pela AIC/SP, e, Técnicas de Palco na SP Escola de Teatro, é integrante do portal Mulher Artista em Rede, e, da coletiva The Fucking New Marias. Atualmente se divide entre trabalhos de audiovisual e teatro, possui como diretora de arte trabalhos nos videoclipes: “Última Esperança” de André Prando, “Salva Vidas” e “Mandíbula” da GEO; e nos curta-metragens “Dinossauros”e “Fragmentos de Uma Metrópole” – e, como assistente de arte participou no curta “Ouroboros”, e no longa metragem “Todos Nós 5 Milhões”. No teatro iniciou seus trabalhos na Santa Cia em 2019 como contrarregra em cena, e Direção de Cena de Odara, no Teatro Oficina. Seu trabalho tem foco na aplicabilidade de seus conhecimentos estéticos e técnicos em: produção, contrarregragem, montagem, direção de cena, cenotecnia e produção de objetos. Escreve alguns textos esporádicos, estuda manifestações populares, canta por prazer, e é aprendiz de violão, trompete e percussão.

Nathiaga Borges
atuadora, cantora y dançarina

formada no Técnico em Teatro Senac Araraquara, onde apresentou a releitura de O Círculo de Giz Caucasiano de Bertold Brecht, estudante de atuação na SP Escola de Teatro em conjunto com a formação da Escola Livre de Teatro, atuou na Web Série Todxs exibida pela HBO, pesquisadora de danças urbanas, performer e produtora na coletiva de vogue casixtranha com apresentações no SP na Rua e Festival Contato, integra o núcleo artístico da Santa Companhia onde atuou enquanto Cora e Perséfone no espetáculo Cora Primavera.

Pedro Bruschi
socioambiental

graduado pela Universidade de São Paulo em Educação Artística com Habilitação em Música, atua na área ambiental através de uma multiplicidade de abordagens, tendo como norte a Educação Ambiental. Permacultor formado pelo Permasampa, trabalha com as prerrogativas e tecnologias da Permacultura na vida, na pesquisa, na militância e no trabalho. Pesquisador da agricultura natural regenerativa tendo como foco Agrofloresta sintrópica, trabalha na Chácara Terra, em Ribeirão Pires, que funciona como laboratório de plantio. Já estudou com Juã Pereira e Namastê Messerchimidt no Sítio Semente, em cursos de agrofloresta e de poda avançada. Jardineiro formado pela UMAPAZ, tem como foco o trabalho com jardins inteligentes e funcionais. Em São Paulo participa de movimentos de plantio há cerca de 10 anos. Atualmente é participante do Torrãozinho Agroecológico e colaborador e aluno do mestre Rubens Matuck que há dezenas de anos trabalha pela floresta urbana.

Pedro Coêntro
atuador y comunicador

iniciou sua formação em Tupã (SP), no teatro amador da cidade, junto com o Grupo Ágape explorando tanto a atuação quanto o audiovisual. É formado pelo Conservatório de Tatuí-SP (202012-14). Em 2015 atuou em A Megéra Domada com o Grupo Ágape, realizada com orientação do projeto Ademar Guerra. Já foi colaborador do portal online Deviante (2016), Projeto Sonorizar- podcast de contação de histórias (2016). Atualmente é poeta de ambulações e cursa Bacharelado em Artes Cênicas, no Instituto de artes da UNESP- São Paulo-SP.

Priscilla Abrahão
conselheira fiscal y madrinha

formada em Letras (Português/Francês) e pós- graduada em Admnisitração de RH. Sempre atuou na área financeira. Trabalhou nos bancos Itamarati e Banespa/Santander. Neste último como Gerente de Produtos da área Internacional (Câmbio Turismo). Atualmente trabalha como Gerente de Operações e Compliance na Small World Money Transfer, remessadora sediada em Madrid (operacional) e Londres (Administrativa),  para as unidades Brasil e Chile. Trabalha em Santa Companhia, desde sua criação. Atualmente atua como Conselheira Fiscal e é responsável pelos contatos com a Contabilidade. É considerada “madrinha” da Cia!

Rafael Abrahão
diretor cênico, dramaturgo y trompetista

Rafael Abrahão é Licenciado em Arte-Teatro pelo Instituto de Artes da Unesp (2015-2019), formado como ator pelo Teatro Escola Macunaíma (2009-2015) e formado como produtor pela plataforma Desenvolvimento Artístico. Autor da pesquisa Oswald Devorado (orientado por Carminda Mendes André e Vinicius Torres Machado) e O Rito-Manifesto (orientado por Vinícius Torres Machado).  Fundou a Santa Cia.  em 2014 escrevendo, produzindo e dirigindo Futurice (Des) Humana, Anamnese, Antropofrei e Cora Primavera. Participou de mais de 20 montagens, algumas delas como Distopia Brasil (dirigido por Pedro Granato), Vestido de Noiva (Direção de Zédú Neves), Julio César (Direção de Adriano Cypriano), Capitães da Areia (Direção de Kalassa Lemos), Cantos que Cantam sobre Pousopássaros (Direção de Tuna Serzedello), entre outras. Também realizou trabalhos externos como assistente de direção de Ariel Moshe, Milena Filó e Reginaldo Nascimento, além de ter cursado algumas oficinas: Teatro de Bonecos (ministrado por Catin Nardi), Improvisação (ministrado por Eduardo de Paula), Iniciação ao palhaço (ministrado por Bete Dorgham).

Rafael Pinheiro (Pinto)
atuador

Rafael Pinheiro, é ator formado pelo Teatro Escola Macunaíma no curso técnico profissionalizante de Arte Dramática (2014), tendo atuado também como bolsista no Teatro da USP (TUSP-2013/2014) e como ator/colaborador no projeto Lab_Art da Faculdade de Educação da USP (2013).  Participou das montagens de “Mamma Mia!” (Escola Recriarte – 2012) direção de Péricles Martins e “Cala a Boca já Morreu” (Teatro Escola Macunaíma – 2013) direção de Tiago Silveira nas áreas do Teatro Musical; As Troianas (2012) com direção de Zédú Neves e O Rato no Muro (2014), As Bacantes (2015) e Buda (2016) com direção de Lúcia de Léllis. Realizou no segundo semestre de 2015 intercâmbio na Universidad Autónoma del Estado de México, onde realizou estudos em Jazz, Tai Chi Chuan e práticas meditativas para a formação do ator

Ricardo Rapozo
audiovisual

Ricardo Rapozo é diretor cinematográfico, formado pela Academia Internacional de Cinema (AIC) em 2015 e bacharel em Teatro, formado pela Escola Superior de Artes Célia Helena (ESCH) em 2019. É também fotógrafo, roteirista e especialista em pós-produção. Foi integrante do núcleo de pesquisa Corpo e Palavra, onde desenvolveu, como bolsista, a pesquisa “A Produção Audiovisual Para Montagens Teatrais” (orientado por Liana Ferraz). É diretor da produtora Luma Films (http://lumafilms.com.br/), na qual dirigiu diversas obras, entre elas, o curta metragem “As Danações de Raul” (2013), os documentários “Ensaio em Cena (2019)” e “Carnaval 4.0” (2020) e roteirizou e fotografou o curta “Sintonia” (2015). Participou de algumas montagens teatrais como ator, destaque à peça “Crônicas de Nuestra América” (2019), dirigida por Marco Antonio Rodrigues. Também é colaborador e fundador, com o dramaturgo Samir Yazbek, do canal de YouTube da ESCH (Celia Helena Digital).

Rodrigo Zanettini
compositor, sanfoneiro y pianista

Rodrigo Marconato Zanettini é músico; pianista, compositor e arranjador atuante na banda Cardume, Marina Matheus e Banda, Linna Karo, entre outros. Está cursando Licenciatura em Música na Universidade de São Paulo (ECA – USP). Rodrigo atua em diversas áreas e linguagens artísticas além da música, como o teatro, nas peças Assassinato do Presidente da Cia Pessoal do Faroeste, Brancos e Malvados da mesma companhia, e como integrante fixo da Santa Cia. Na linguagem do circo, atua como músico em diversas peças, como Piccolo Circo, Cabaré Cyrklos e como integrante fixo na Ruela Companhia, como músico-palhaço, em espetáculos como Truques e Trambiques. Também na área do circo, Zanettini compôs junto a Vinícius Politano e gravou junto a Felipe Chacon e João Candau a trilha sonora do espetáculo Rosa Pequena, da Rosa Cia, além de ser compositor e instrumentista na peça Íntimo, da Cia Lamala. Ainda com a Cia Lamala, compôs, arranjou e gravou a trilha sonora do espetáculo Ilhado.

Stéphanie Glória
gestora cultural

Stephanie Glória, pernambucana, advogada (OAB SP – 348951) , facilitadora de conteúdo e gestora cultural. Há 10 anos fundou a G2 Cultura – empreendedorismo cultural, cuja  missão é ajudar artistas e grupos a fazerem a carreira fluir. Na Santa Cia. dirige a equipe de projetos e captação de recursos. “Sou gestora. Gestar significa formar e sustentar. Gestar ideias, significa ajuda-las a ganhar vida, corpo e ação”. Stephanie Glória

Vinícius Brazil
percussionista

estudante de canto no Conservatório Orpheus. Estuda Violão com Guilherme Medeiros. Noções Básicas em Áudio e Curso do ProTools pela Synthex Pro School. Estudante de Licenciatura em Educação Musical pelo Instituto de Artes da UNESP (2017-presente).