ROMANÀH

E se dois corpos se unissem no meio da rua?

Eles se amariam?

Ou se odiariam como vemos no nosso cotidiano.

E se dois corpos se unissem no meio da rua?

Eles brigariam?

Ou se juntariam em um só corpo mescla de suor e

prazer.

E se dois corpos pudessem se unir no meio da rua? Eles

sairiam distribuindo golpes de fúria ou beijos e carinhos

de excitação.

A poética do romanàh convoca o seu mais amor, o seu

desejo, sem despejo da sua pessoa.

Ela não te julga, ela te ajuda.

Há amoR em Roma(n)àH.

Rafael Pinto

Deixe uma resposta