A água fluiu.
Brotou simples.
Chegou no lado de cá.
Foi para o lado de lá.

Não era insípida.
Não era incolor.
Tampoco inodora.

Cheirava à rua…
Ocupada, caminhada, corrida, andada,
minjada, vomitada, cagada e humana.

No jogo desse espaço imundo,
Surgiram paz, mansidão, tesão e
Tolerância.

Não foi só de mim.
Não foi só dele.
Foi de nós.

Nosso desejo. Nossa prece. Nossa oração para a Avê, para a rua, para todos os nós.

Rafael Pinto

Deixe uma resposta