Racional

Deixa que eles pensem o que for. Ninguém sabe no final o que sentimos. Seja o que for, sempre será. Deixa rolar, sinta esse momento. Nós dois aqui, íntegros, plenos, sentados nessas telhas molhadas, olhando pra lua que vira uma “super lua” com você ao meu lado. Não trague sua vida como um cigarro, deguste. Esqueça que realmente há alguém lá embaixo se preocupando, infelizmente não importa agora. Você me guia. Eu te guio. Nos guiamos escondidos numa escuridão perpétua. Nossa escuridão. Peço que me perpetue, e me faça sua eternidade, ao menos enquanto durar, como já dizia o poeta. De poucas palavras eu tento ser, mas não consigo. Quero ser teu mistério e sou teu livro aberto. Quero ser teu filme favorito. Acalma minha insensatez e não deixe que exista um mundo racional. Mira a irracionalidade dos nossos sentimentos. Os nossos fogos de artifício. Não sinta saudade desse tempo que está por vir, isso nos motiva a pensar que na frente terá um fim. Não adiante nosso sofrimento. E não deixe que eu te diga o que fazer. Só deixe que eu te convença, como você me convence.

Bruno Panhoca

Deixe uma resposta