O conforto perigoso

Minha querida e amada
E muito
Muito
Perigosa

A musa que não descansa
Não te cansa
Mas te descansa

Você não me dá carvalho
Quem dirá trabalho
Como espera que incendeie
Nosso amor sem lenha ?

Meu adeus
Serve-te como boas-vindas
Meu olá vem tarde
E me encontro vitimizando e vitimizado

Apenas digo que queria te exterminar
Minha musa ,
Z.C.

Arthur Rizzo

Deixe uma resposta