De uma gripe que se fez bem vinda

Sento na cama vazia. A brisa vem e leva minha saúde em suas costas, como um ladrão que não se faz sentir até o último instante.
Vivo a perda com a mesma surpresa da criança que descobre a verdade sobre papai noel. Nós duas ainda esperamos, alegres, pelo natal, mesmo sem sua magia. Parece que fica ainda mais doce a mentira quando sabemos da verdade.

O doce do açúcar faz o limão que engulo mais suportável. O limão me salva da dor de garganta, dor esta que me ataca mais forte com o doce do açúcar. Fazer-se doente para que a cura seja mais apreciada é algo comum da nossa espécie.

Deito na cama vazia. Tranco as brisas e as surpresas para fora enquanto aprecio o veneno doce da drogaria.

Vitória fava

Deixe uma resposta