Saco vazio (27/3/15, 22:20)

Enquanto do lado de fora
Da linguiça transpotária pública
Existe bateria baixaria e bateria
Entrando na linguiça
Está a alma vazia
Vazia a olhos nus
Dos humanos comuns
Que não passam de outros uns

A alma vazia carrega uma sacola
Pesa os pesos de uma vida
De mãos calejadas
Mãos afetadas
Pelos humanos comuns

O mais comum
Somos nós
Que ignoramos o peso de uma existência
Existência que pesa na rua
Pesa no bolso das rycas
E não pesa nem um pouco
No coração dos homens comuns

Chegamos a uma conclusão
(E apenas uma)
O saco vazio que é aquela vida
Pesa mais que a nossa

Rafael Abrahão

Deixe uma resposta