Um ano

Comecei
E não parei.
Veio como um vício
Não era tão difícil,
Como me diziam.

Tudo se encaixava perfeitamente
Palavra e letra cadente.
Perdidas se encontravam
Malvestidas se costuravam.

Então começou novamente
Foi um dia, um nascer e um poente.
Foi uma semana, foi um ano.

Rapaz, como o tempo passa…
Achei que tinha perdido a graça,
Mas às quartas me lembro dessa praça,
Sento e escrevo, mesmo que esteja de pirraça.

Bruno Panhoca

Deixe uma resposta