Ei

Era 27 de abril e tava um frio do cacete. Eu queria esconder toda a vergonha que eu tava sentindo. No final consegui me esconder no seu sorriso. Acho que esses amores não duram. Honestamente penso que amar nessa idade é uma idiotice que vai te levar a fazer coisas imbecis e ter atitudes estranhas. Na verdade não penso assim, talvez pensasse. Mas aí te conheci. E girou tudo, meu estômago, meu pescoço, meu mundo. Foi rápido mas ao mesmo tempo devagar, você tomou cada pedaço meu como de assalto. Então eu pensei “deve ser amor”. Ignorei, na verdade esqueci, que já havia pensado o contrário, esqueci que poderia ganhar tal salário, nada superava acordar mais cedo pra ir te ver. Problemas todo mundo tem. E eles aparecem cedo, eles dormem de baixo da cama esperando o momento certo de acordar. Outros demoram. Mas eles vêm, disso temos certeza. E apareceu, mas, na filosofia do quebra mas conserta, a gente conserta, todos, sem exceções. O amor que a gente pensa que sente vai e vem como agua descendo pelo ralo, felizmente entupi o nosso ralo, a água está parada, já transbordou há tempos, o único jeito é chamar um encanador. Mas não há encanador que resolva. Não fez sentido essa analogia, evidentemente, mas assim você entende como me sinto quando seu nome vem na minha cabeça

Bruno Panhoca

Deixe uma resposta