Gosto (5/11/14, 7:03)

Quando sua mão esbarra na minha
Quando sua barba está curta e grossa
Quando me olha com mistério
Quando o silêncio nos domina
Quando estamos sozinhos

De ficar apertado com você na imensidão
De te abraçar
De te fazer caricias
De rolar meu corpo junto ao teu

Por acaso é um corpo de um homem
Por acaso é o corpo de outro homem
Dois perdidos cósmicos do bairro
Dois vizinhos distantes
Dois, que amam
Que querem o direito de poder amar livremente

Rafael Abrahão

Deixe uma resposta