Amor

O que é esse Amor que tanto falamos? O que ele tem de tão bom para todos querermos? Alguns homens barbados, hoje não tão barbados nem tão vivos, disseram que era só Dele – e uso a letra maiúscula pela divinização que esse sentimento recebe – que precisávamos, e, muito felizes, outros homens barbados e mulheres igualmente barbadas começaram a cantar a famosa letra quase que como um mantra. Se pensarmos que, até hoje, o verso é visto repetidas vezes em vários lugares, poderíamos dizer que estavam certos, mas é certo mesmo que pessoas que vivem apenas de Amor são tão ou mais infelizes que as outras e, mesmo assim, não são capazes de dar uma definição razoável e sensata acerca de sua única fonte de necessidade e felicidade.
Há, também, quem diga que Amor tem relação direta com uma intimidade sexual, o que implicaria grandes orgias dos fãs com, por exemplo, os homens barbados que afirmaram a necessidade de amar. Como isso, assim como sexo grupal entre familiares de várias idades e graus de parentesco, nunca aconteceu, foi descartada esta definição, ou, como muitos preferem, foi feita uma diferenciação entre as formas de Amor, o que tornou este fenômeno ainda mais disperso e inexplicado.

Vitória Fava

Deixe uma resposta