Aquele e todos os dias

Eu corri e corri… Finalmente cheguei.
Parece que percorri 7 volumes de uma série.
Mas valeu a pena cada página mal virada.
Valeu a pena procurar aquela palavra desconhecida no dicionário.

Eu cheguei e foi difícil não te dizer.
Mas cheguei e tô aqui, aqui embaixo, olhando pra cima
Olhando pro teu rosto que não mira nada a não ser o que tá a sua frente.
Olha pra baixo.

Ou deixa que eu subo… Subi.
E demorou. Foram 15 andares travestidos de 60.
Demorou mais que o dia que viajei pra Bahia de carro.
Demorou mais que definir na minha cabeça o quanto eu te amava.

Mas consegui.
Abriu a porta e te vi.
Como num estalo de bombinha em festa junina eu defini.
Você me iluminou, de novo, que coisa, não? Já até virou rotina

Te olhar, saber o que falar, e não conseguir.
Mas então, pequena, olha nos fundos dos meus olhos e me ajuda a sair.
Me ajuda a te explicar tudo isso, que já tá doendo porque não sei o que falar.
Mas entende que se isso acontece é porque se meu coração tem 10 frações, você tá em 11.

Bruno Panhoca

Deixe uma resposta