Festa sem motivo (20/9/14, 17:25)

Não serei o michê Marlboro
Nem antes, nem depois
Meu corpo apenas aquece o dos homens e mulheres esfarrapados
Meus zepelins bombardearam-me
Estou fedendo
Mas música relaxa e o corpo arde
Arde friamente com lábios congelantes
Não cobro nada
Tanto é que não faço amor
Faço festival
Os balões estão decadentes
É a mesma festa toda vez
Comemoramos o que?
A carne?
Pode até ser
Mas garanto que o amor
O olhar
A liberdade
O relaxamento
Não
O real eretismo
Não passa de erotismo

Rafael Abrahão

Deixe uma resposta