Era uma vez a música e o que se toca

Três notas juntas formam um acorde
Acorde para detalhes sentimentais tão específicos
Especifico cada um apenas com um leve torque
Ou com uma reposição desde que tenha sorte

Sinto saudade do tempo em que não se precisava repetir
Para ter sucesso era apenas tocar as pessoas
Onde elas escondem os sonhos, saudades e o que mais não quisessem repartir
E permitir seu próprio som chegar aonde ecoa
E soam soluços, angustia e felicidade

Estamos numa sexualidade imensurável
Quando não importa o que é, mas o que faz
Faz o animal tomar posse e esquecer Ravel
E ouvidos e mentes nunca mais tiveram paz.

Viale de Lara

Deixe uma resposta