Concreto vermelho, GOL atoa (12/6:14, 19:15)

“Somos todos um”
Fecho-me num quarto ao som de um sexteto
Para tentar enxergar
Tudo está conectado
Passado, presente e futuro
Numa relação interdependente

Voltemos aos anos 70
“Brasil, ame-o ou deixe-o”
Construções imperiais
Ditadura
E claro, uma propaganda ufanista
Onde a vitória de um campeonato
Mascara toda a tortura existente

“Brasil, o país do futebol”
De certo que há muitas riquezas nesse país
Além desse esporte tipicamente… Chinês
A miséria, a negligência estatal, a corrupção
São sem dúvida algumas riqueza compartilhadas com o povo

“Brasil, país rico é país sem pobreza”
Construção de favelas
República
E claro, o gigante acordou
Porém parte dele cai num sono profundo

O “Não vai ter copa” cola suas figurinhas
O “Somos todos macacos” não passou de uma piada ambigua
O “Não é por 20 centavos” dorme com vuvuzelas nas gargantas

O verde que é vermelho
As matas foram devastadas
O sangue da ditadura, escondido de baixo das manchetes dos jornais
O sangue de 9 operários, escondido entre o concreto dos estádios

Rafael Abrahão

Deixe uma resposta