O mundo meio assim

Zona adolescente, meio de repente
Tudo diferente, mundo transcendente
Homem que mente, e mulher também
Filhos sozinhos, nunca viram nota de cem
E meu pai me dizia, cuidado com pedofilia
Hipocrisia, heresia, curte a maresia
Homem leproso homicidio doloso
Senhor bondoso menino afetuoso
Desdentados e raquíticos
Amordaçados e paralíticos
Os políticos do nosso mundo
Alguns bons a maioria vagabundo
Os esquecidos nunca lembrados
Reprimidos e largados
Somos iguais perante a lei
Só que tambem nao pode virar gay
A sociedade junto do governo
As palavras que contem veneno
Preconceito e tudo malfeito
O prefeito que nao tem peito
Nem garra, nem gana, nem fé
Que tem medo de andar a pé

Bruno Panhoca

Deixe uma resposta