De madrugada , tudo que anda é rato

Eu caminho norte até que vire sul
E não sei mais o que é azul

Escrevo cartas para ela
Mas só eu sei

Mandei muito bem
Muito melhor que pensei

Construo um castelo para nós
Um castelo sem rei

Mandei muito mal
Muito pior que jornal

Minha boca é nervosa
Sua cara é cheirosa

Gostar eu não gosto
Mas gozar…

Possuo chifres
Resta saber , de touro ou de corno

O rio perene não esgota
Mas se precisar …

Peitos , leitos , feitos
Secos , duros , acabados

Nascer é adoecer
Morrer é adormecer

Visto meu chapéu para dormir
Tomo banho e vou acordar

Ter certeza , todos têm
Agora , alguém que sabe …

Juntos estaremos quentes
Até o anoitecer

O gelar minha mão
Não escuta meu coração. que anda é rato

Eu caminho norte até que vire sul
E não sei mais o que é azul

Escrevo cartas para ela
Mas só eu sei

Mandei muito bem
Muito melhor que pensei

Construo um castelo para nós
Um castelo sem rei

Mandei muito mal
Muito pior que jornal

Minha boca é nervosa
Sua cara é cheirosa

Gostar eu não gosto
Mas gozar…

Possuo chifres
Resta saber , de touro ou de corno

O rio perene não esgota
Mas se precisar …

Peitos , leitos , feitos
Secos , duros , acabados

Nascer é adoecer
Morrer é adormecer

Visto meu chapéu para dormir
Tomo banho e vou acordar

Ter certeza , todos têm
Agora , alguém que sabe …

Juntos estaremos quentes
Até o anoitecer

O gelar minha mão
Não escuta meu coração.

Arthur Rizzo

Deixe uma resposta