E se eu morrer antes da morte chegar?

Deixo de ser eu mesmo
Aquele momento em que você não é você
Você tem uma parada cardíaca
Parar de respirar
Fazer algo por pressão

Agir sem vontade
Calar quando falar Íntimo ou distante
Lave seu corpo

Viver
Desligar
Lembrar
Apagar
Morrer

Um amor duro como pedra e,
Vazio, denso
Que ao mesmo tempo pressiona e,
Liberta, desprende

Se desprender do corpo
Aterrar-se
O que serei ?
Do que importa?

Pra que cair na mesmice?
Não

Palavras as vezes são uma tortura
Sem vida , para o papel Ja pensou ser riscado todo dia?
Ainda mais sobre coisas banais…

O silêncio para uns , traz agonia
Para aqueles que prezam um certo horror vacui
Mal sabem eles que são constituídos 99,99…%
De puro , denso e total vazio .
Espaço .

Lobotomizado
Parece-se demais com robotisado…
Que por sua vez , me tira do meu eu
Me coloca no meu breu
E como uma vela

A luz na fim do túnel nada mas é que um delírio pré morte .

Bruno Panhoca

Deixe uma resposta