19 Horas

Vazio, me sinto vazio
Como um rio, seco, esquecido
Repleto de rachaduras, como no agreste
Vazio como uma cratera
Como uma caixa de sapatos recém jogada
Como uma lixeira pela manhã
Agora me olho no espelho, admiro meus olhos
Olhos vermelhos, inchados, aguados
Meu rosto é marcado por lagrimas recém caídas
E em minha cabeça, memórias perdidas
Preenchidas e bem recolhidas,
Mas espero ser preenchido por outras
Muitas, boas, ou poucas.
Penso em você
E medo.
Me toma como de assalto
Me joga pra baixo, me consome de forma intensa
Choro e mais, reclamo e mais, fecho os olhos e nada mais.
Apaixono-me lentamente, tento não repreendo… o sentimento.
Mas tenho medo.
E se não te conto o por quê
Lhe explico já, pelo medo.
E por que medo?
Não sei, não sei.

Bruno Panhoca

Deixe uma resposta