Antes um pássaro na mão do que dois na gaiola

Hoje vi um pássaro
O seu voar, espetacular
Já amanha, quero-o
Em minhas mãos, ou numa gaiola …

Em mãos terei-o
Por um breve instante
Mas serão segundos para sempre
Irei admirá-lo, acaricia-lo
E logo, será apenas estória

Numa gaiola, uma bem bonita
Que combine com sua beleza e o proteja
Talvez até com espaço para um companheiro!
Ou companheira, quem sabe…
Será muito feliz, e ele também
Terei-o para sempre
Na verdade, até restar apenas seus ossos pneumáticos…

O pássaro, depois de engaiolado
Parecia belo como normal
Porém, parecia ter perdido algo
Não sei o que exatamente

Arranjei-lhe uma namorada , igualmente bela
Mas agora, ambos estavam sentido falta de alguma coisa

Adoeciam de angustia
Nada funcionava
Não restavam mais opções
A não ser o drástico
Teria de solta-los para a natureza
Mortífera

Decidido
Abri a gaiola, retirei-os
Numa intensa raiada de sol
Encontraram aquilo que procuravam
Voaram e foram
Esqueci porque havia me apaixonado
Seu voar, era realmente único

Arthur Rizzo

Deixe uma resposta